4 de fevereiro de 2020
Eu acho que só comecei a fazer as unhas mesmo, lá pelos meus 15 anos , porque até então elas eram bem curtinhas e frequentemente roídas. No início só pintava de clarinho, depois fui pros tons mais escuros, com o tempo passei a me aventurar nos coloridos, até que um dia, depois de muito tentar, consegui aprender a fazer Francesinha. A técnica que é tradicionalmente conhecida no modelo unhas claras e apenas a pontinha delas de branco, existe desde a década de 20!

Como estamos adorando esses estilos mais modernos de nail art, resolvi me aventurar e experimentei uma francesinha colorida: O rosa é o Amor Secreto da Vult, e o vermelho da pontinha é o Rouge, da Panvel. Amei muito o resultado, e provavelmente seguirei usando esse modelo pra aproveitar todas as cores da minha gaveta de esmaltes. Mas se vocês acham – pois eu achava – que a francesinha colorida é algo super atual e inovador, fique sabendo que segundo a Vogue, a atriz Joan Crawford já usava na década de 30 versões escuras como preto e verde, e a pontinha sem nada.
A marca de esmaltes Orly foi quem batizou a técnica de Francesinha, na década de 70. Você pode conferir a história completa da Francesinha, nessa matéria da revista Vogue.

Lá no nosso Pinterest você encontra várias inspirações lindas e diferentes da Francesinha! E pode aguardar, que assim que eu testar outras combinações, compartilho tudo por aqui e/ou no nosso Instagram!

Escrito por: Kaka Farias
compartilhe

leia também

    Pechincha Awards 2020: Os Favoritos para Corpo, Cabelo e Unhas
    30 dias usando o Glowing Skin Kit da Madame Crème

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *